segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Semear livros para colher leitores



Dia 29 de setembro. O auditório da biblioteca do Memorial da América Latina estava lotado. "Quem gosta de escrever aqui?", perguntei. A meninada se ouriçou. Várias crianças e adolescentes levantaram a mão e se manifestaram.

Um privilégio estar frente a frente com alunos representantes das escolas da rede municipal de São Paulo. E não sou a primeira a ser convidada para participar desse momento especial propiciado pelo Projeto Sementeira.

Tatiana Belink, Marta Góes, Ricardo da Cunha Lima, Luiz Schwarcz, Liliana Iacocca, Fernando Bonassi e Ricardo Azevedo são alguns nomes de au
tores que já participaram.

O Sementeira foi concebido, em 2002, através de uma parceria entre o Centro Universitário Nove de Julho (Uninove), o Memorial da América Latina e as Editoras Cosac Naify e Cia das Letrinhas.

O objetivo principal do Sementeira é disseminar o gosto pela leitura entre os alunos da rede pública de ensino. Não é bárbaro?

Acontece assim: durante um bimestre, profissionais da Uninove trabalham especificamente um autor com professores de algumas escolas selecionadas. Ess
es professores estudam com seus alunos um livro do escritor.

Eles são orientados a desenvolver em sala de aula atividades que promovam nas crianças o encontro com a literatura. Como, por exemplo, a prática de argumentar sobre a obra, conjecturar como e por que ela foi criada e até imaginar um novo final. Por que não?

No nosso esperado encontro, fui deliciosamente sabatinada pelas crianças. Um show de curiosidade e interesse pelo livro “Por que Heloísa?” e o seu processo de criação.

Em seguida fui presenteada com cartas, anúncios e cartazes. Projet
os iniciados a partir das atividades. Fiquei muito emocionada ao ler os conteúdos e ver os desenhos criados pela meninada (alguns exemplos abaixo).

Uma das coisas que acho mais bacana nesse projeto é o seu desdobramento com a produção de textos pelos alunos. Ou seja: eles não só são incitados à leitura como também à escrita.

A oportunidade de participar do Sementeira, conversando com a moçada sobre ler e escrever, é de uma satisfação sem igual.

E nesse dia eu tive a certeza de que as sementes haviam “pegado”.

4 comentários:

carina paccola disse...

Cris, muito legal vc compartilhar esses momentos frutíferos! As fotos estão ótimas. E realmente deve ser emocionante receber tantas demonstrações das crianças. Elas mostram o quanto foram receptivas à sua história. Isso é muito legal. Os frutos virão!
Super beijo

disse...

Cris,que projeto bacana! Parabéns pelo convite! Fiquei orgulhosíssima! Bjs

jorge cordeiro disse...

podexá que não vou cobrar direitos pelo titulo, viu?

já pus o livro lá no escriba! bjs!!

Bel disse...

Só conheci o seu livro agora, fuçando por aqui... e estou encantada. Parabéns!!!